Candidíase vaginal e digestiva: Novo tratamento experimental

Candidíase vaginal e digestiva: Novo tratamento experimental

Os pacientes com Síndrome de Sensibilidade Central (SSC) sofrem com frequência de infeções de repetição por vírus, bactérias ou fungos (herpes, rinite, sinusite, faringite, bronquite, infeções urinárias, infeções por fungos…). Isto acontece porque possuem um sistema imunológico hiper-reativo, isto é, com tendência a desenvolver maior sensibilidade e a entrar em “conflito” com diferentes estímulos aos quais estes pacientes estão sensibilizados, como alimentos, substâncias respiratórias (ácaros, pólens…), estímulos físicos (frio ou calor, luz, ruídos…) ou estímulos químicos (medicamentos, odores…) entre outros. Isto faz com que o seu sistema imunológico esteja “ocupado” nesse conflito, descuidando o verdadeiramente importante, que é a defesa perante os vírus, bactérias e fungos. Como consequência, estes pacientes apresentam uma propensão a sofrer infeções de repetição.

Neste sentido, a Unidade SHC Medical do Hospital Viamed Santa Ángela de la Cruz, de Sevilha, está a realizar um estudo pioneiro com um tratamento experimental para tratar a candidíase vaginal de repetição, que afeta muitas mulheres, e a candidíase digestiva. Dado que muitas pacientes com SSC sofrem candidíase de repetição, um prestigioso laboratório de imunoterapia contactou recentemente o chefe de Imunologia da Unidade SHC Medical, o Dr. Cáceres, para testar um novo tratamento que poderia resolver este problema, tão molesto para as mulheres.

“Muitas das nossas pacientes sofrem de candidíase vaginal de repetição, e estão a ser tratadas pelos seus ginecologistas com tratamentos farmacológicos para os fungos, como o fluconazol”, explica o Dr. Cáceres. Apesar de os pacientes receberem medicação tópica ou por via oral durante meses, estes fármacos são incapazes de vencer essa infeção por fungos, que volta a reproduzir-se.

Uma nova vacina

Este tratamento é inovador na medida em que não é farmacológico, mas imunoterapêutico – uma vacina sob a forma de gotas sublinguais, que a paciente toma todos os dias. O objetivo é conseguir que o sistema imunológico da paciente se fortaleça e desenvolva defesas frente à cândida para que seja o próprio sistema imunológico da paciente a expulsar a cândida, que normalmente vive nas mucosas genitais e digestivas.

Segundo afirma o Dr. Cáceres, “atualmente temos recrutadas 25 pacientes, que já estão em tratamento com esta nova vacina. Algumas são da própria Unidade, e outras foram-nos derivadas por colegas ginecologistas”. As pacientes selecionadas para o estudo devem cumprir uma série de requisitos: estarem diagnosticadas com candidíase vaginal de repetição, e que o tratamento médico tenha fracassado em várias ocasiões – isto é, quando a infeção volta a reproduzir-se, considerando-se por isso como uma infeção crónica.

Em SHC Medical investiga-se se as pacientes derivadas pelos ginecologistas sofrem de Síndrome de Sensibilidade Central associada, em cujo caso iniciariam uma dieta alimentar específica imunológica, e em todos os casos, quer as pacientes sofram ou não de SSC, são submetidas ao tratamento com a nova vacina, cuja composição inclui um extrato específico de cândida, entre outras coisas.

“Ainda é cedo para chegarmos a conclusões definitivas, mas estamos bastante satisfeitos com os resultados preliminares, uma vez que em mais de 85% das pacientes infeção desapareceu completamente pouco tempo depois de começar o tratamento com a vacina.” Na sua opinião, “não sabemos o que sucederá a estas pacientes quando se suspender a vacina, mas tal como sucede com outras doenças imunológicas e nas alergias, se se leva a cabo um tratamento imunoterapêutico correto durante o tempo suficiente, a infeção causada por este fungo será eliminada, tal como acontece com outras infeções ou com as alergias.”

A confirmarem-se estes resultados, estaríamos perante um tratamento verdadeiramente eficaz contra infeções causadas pelo fungo da cândida, o que solucionaria um problema bastante frequente, e que limita significativamente a qualidade de vida de muitas mulheres.

Se você continuar usando este site, você aceita o uso de cookies. Mais informação

As configurações de cookies neste site são configuradas para "permitir cookies" e, assim, oferecer a você a melhor experiência de navegação possível. Se continuar a utilizar este site sem alterar as suas definições de cookies ou clicar em "Aceitar", estará a dar o seu consentimento para tal.

Fechar